A inveja, o caminhoneiro e eu de carona

Engula a pílula do meu sucesso e tenha, por ser muito invejos@, uma infecção.

A frase acima é minha. Não sou muito de escrever essas coisas, acho uma cafonice. Sei que a linguagem tem um poder muito grande no outro – vejam os políticos. Sei também que tenho que me acostumar com a opinião alheia e com o olho gordo do outro. Temos que nos acostumar. São câmeras instaladas nos lugares mais inusitados que sempre estamos.

Inveja: ódio provocado pelo sucesso do outro. Há diversos tipos de invejas. Inveja de ter os pais/pés do amigo; inveja de não ter uma vagina/pênis; inveja da beleza/burrice do outro; inveja por não ter inveja. Mas veja, pra que serve a inveja? Talvez seja, ou seja mesmo, pra causar no possuidor dos bens o êxito que, com suor, se tem sempre. Nada nessa vida é fácil e invejar o que o outro tem sempre é mais interessante. É ter tomando.

Há os que se defendem, repito, não me defendo, apenas vivo com uma intensidade que pode, quem sabe, até causar inveja nos olhos remelentos de quem assiste. Mas vamos lá, vou transcrever algumas frases que não são apenas sobre a inveja, mas ficam em caminhões e parece que não tem quem mais se defenda  e opine que um caminhoneiro:

Vou devagar, mas estou na frente. (Pra quem fica atrás, ou seja, vendo a frase, cai até direitinho).

Não me siga, estou perdido. (Todo caminho leva a algum lugar, diria).

80 ação! 20 ver! 100 você, não sei viver. (Oh tentação! Vim te ver! Sem você, não sei viver), puro enigma.

Diferença de credor e devedor: o primeiro tem a memória melhor.

Dinheiro e mulher bonita só vejo nas mãos dos outros.

Direito tem quem direito anda.

Dirigido por mim, guiado por Deus. (Essa é clássica. Você encontra não só em caminhão, mas em tudo que se mexe com rodas embaixo).

Duas coisas que eu gosto: cerveja gelada e mulher quente. 

É fazendo muita merda que se aduba a vida. (Essa eu já disse muito. Digo em qualquer ocasião).

Casamento começa em motel e termina em pensão.

Pior do que não ter o que vestir, é não ter alguém pra te despir. (Sou despido em palavras, conta senhor caminhoneiro?).

Como não sou caminhoneiro, não sigo estrada me defendendo e nem criando frases criativas com um grande poder sintático. Só acho que viver é estar sempre em competição, por isso que eu gosto. Às veze não temos problema nenhum e daí surge um problema: não ter problema. Nunca vai sair da boca (se for carnuda, eu tenho inveja) de um amigo revelando a inveja que sente pelo outro. Por isso que não é fácil viver e manter uma amizade duradoura. Não tenha inveja de mim, lute da mesma forma que eu lutei – já tenho uma frase de defesa pro meu futuro caminhão. Não tenho inveja do caminhoneiro, vou apenas de carona. Amigos servem pra isso: dá uma mãozinha na hora que mais se precisa e não ficar invejando as conquistas do outro.

By: JOÃO GOMES.
24.06.12
(20:48)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s