Edith Piaf e o exercício do canto

Não vou dizer que passei, assim como falei quando citei Nina Hagen, a noite toda ouvindo Edith Piaf. É desnecessário dizer. Piaf eu ouço sempre. Acho a língua francesa uma coisa absurda de linda e nem é preciso dizer o quanto acho tonante a voz dessa diva. A minha paixão começa com a história de vida que ela teve. Piaf expressava no canto a suas dores e isso é lindo. Acho perfeito quem consegue traduzir as coisas, assim como é a poesia de João Cabral, sem um pingo de choro. Edith Piaf consegue muito bem isso. Ela é segura.

Bom começo de semana a todos.